Mostra Yasujiro Ozu – Programação

O Cineclube Dissenso abre sua agenda de 2012 com a realização de uma mostra especial sobre o diretor Yasujiro Ozu (1903-63). Em parceria com o Escritório Consular do Japão no Recife, será exibida no Cinema da Fundação, em cinco tardes de Janeiro, uma retrospectiva com alguns dos principais filmes do realizador, em 16mm. Entre os dias 25 e 29, de quarta a domingo, o Cineclube dará a justificativa de Ozu ter se afirmado um dos principais autores do cinema japonês, deixando como herança uma filmografia que vem sendo bastante retomada pela contemporaneidade global, seja na exploração de temas básicos ao homem, como na própria elaboração dos gêneros narrativos e constituição do cinema enquanto linguagem.

Como sempre, as sessões são gratuitas e seguidas por um debate aberto na Sala Edmundo Morais. Para encerrar a Mostra, no dia 29 (domingo), logo após a sessão, contaremos com uma palestra sobre o cineasta, gentilmente oferecida pelo crítico de cinema Luiz Soares Jr., na mesma sala dos debates.

Serviço:

Mostra Yasujiro Ozu (16mm)
De quarta (25) a domingo (29)
Entrada Franca
Cinema da Fundação
Endereço: Av. Henrique Dias, 609 – Derby
Informações: 3073-6767 (Fundação Joaquim Nabuco)

Programação:

25, Quarta, 16:20h

Filho Único (Hitori Musuko, 1938)
Primeiro filme falado de Ozu. Sobreposição de episódios a respeito de uma mãe solteira, operária de uma fábrica, que sofre para poder criar o filho com dignidade. Passados os anos, ela decide ir visitar seu filho, já adulto, esperando encontrar um médico bem sucedido. Termina por deparar-se com um cenário de miséria e desemprego, muito semelhante ao que sempre viveu. 84 min. P&B. 16mm.

26, Quinta, 16:20h

Pai e Filha (Banshun, 1949)
Com este filme, Ozu ganhou notoriedade internacional, inaugurando uma série de projetos sobre a desagregação dos valores familiares e os conflitos entre as gerações. Nele, uma jovem dedicada a cuidar do pai viúvo, apaixona-se, mas não sabe o que fazer de sua vida. Somente com um falso casamento que seu pai fingirá contrair, ela poderá considerar o caminho de sua própria felicidade. 108 min. P&B. 16mm.

27, Sexta, 15:50h (Novo Horário)

Era Uma Vez em Tóquio (Tôkyô Monogatari, 1953)
Considerado por muitos como a obra-prima do diretor, este filme celebrou uma espécie de nova maturidade para Ozu, que na época de seu lançamento completava 50 anos. Nele, um casal de idosos visita os filhos após uma ausência de duas décadas, mas são desprezados por seus descendentes, encontrando abrigo na hospitalidade de uma jovem nora que já está viúva. 135 min. P&B. 16mm.

28, Sábado, 14:00h

Fim de Verão (Kohayagawa-Ke No Aki, 1961)
No pós-guerra, patriarca de uma família em crise financeira revive uma antiga paixão. Enquanto isso, ele tenta casar sua segunda filha, bem como sua nora. Filme que representa a derrocada da família tradicional japonesa e do próprio indivíduo que, confrontado com uma realidade em transformação, tem como única certeza a existência da morte. 103 min. Cor. 16mm.

29, Domingo, 14:00h

A rotina Tem Seu Encanto (Sanma no Aji, 1962)
Último filme de Ozu. Um viúvo de idade avançada preocupa-se em arranjar o casamento de sua filha. Militar, ex-combatente na Segunda Guerra, ele sente com seus amigos fuzileiros o peso dos anos, de uma história que assola o Japão até mesmo em suas relações mais íntimas. 113 min. Cor. 16mm.

16:00h  –  Palestra Sobre Yasujiro Ozu, com Luiz Soares Jr.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s