V Concurso de Roteiros Rucker Vieira

Por Rodrigo Almeida – com informações do edital

Vou começar no esqueminha lead mesmo: a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), através de sua produtora, a Massangana Multimídia Produções da Diretoria de Cultura, em parceria com a TV Brasil, lançará oficialmente durante o Cine-PE, entre 28 de abril e 04 de maio, a chamada para o V Concurso de Roteiros Rucker Vieira. Essa iniciativa irá premiar dois projetos para Documentário de Curta-Metragem Digital, ou seja, para realização de produtos audiovisuais cuja duração encontra-se estimada entre 15 e 26 minutos, sendo impressos e apresentados em formato Mini DV. O Concurso é de âmbito nacional (para pessoas físicas e jurídicas) e, nessa edição, aparece vinculado ao tema “Representação do Nordeste na Produção Artística Contemporânea“. Segundo o Edital, as propostas inscritas devem ser desenvolvidas “mostrando um ou vários exemplos de como artistas e/ou intelectuais brasileiros vêm apresentando o Nordeste em suas obras. O foco dessa representação do Nordeste, necessariamente, deve abordar visões diferenciadas da Região, que escapem dos estereótipos de Nordeste agropastoril e unicamente rural. Buscar-se-á, assim, estimular o mapeamento de visões múltiplas sobre a Região e discutir a emergência de novas “idéias de Nordeste”. Ufa.

Agora começando a intervir diretamente com algumas opiniões: acho interessante que a Fundaj entre em consonância com a quebra da imagem nordestina clichê (ou ‘pra paulista ver’), destacando inclusive um lado regional que dialoga de frente com uma idéia de global, um regional que se mistura, engloba e se deixa englobar; afinal estamos precisando de uma real emergência de novas representações e não a retomada eterna do regional que pretende se manter idêntico, distante e isolado do mundo ou inserido e limitado em redomas culturais, como sempre nos prega o pastor armorial Ariano Suassuna (e mesmo, a maioria dos cineastas pernambucanos). Falo isso até porque a Fundação Joaquim Nabuco, através de seus produtos audiovisuais, sempre esteve muito presa a uma idéia de nordeste lugar-comum. O que particularmente me cansa, porque parece sessão-da-tarde-com-sandália-de-couro se repetindo indefinidamente. Espero só que essa ‘fuga de estereótipos’ não termine no resgate de ‘estereótipos’ ou na fundação de estereótipos. É um risco e seria uma pena.

Continuando com os dados e o esqueminha lead: as inscrições vão ser realizadas entre os dias 5 e 15 de maio de 2008, apenas através de Sedex, e serão totalmente gratuitas (cada proponente, entretanto, só poderá inscrever um projeto). O endereço para envio é: Fundação Joaquim Nabuco, Massangana Multimídia Produções, Rua Henrique Dias, 609, Derby -Recife – PE CEP: 50.010-100. Deverão constar no Sedex, a ficha de inscrição isolada e dois envelopes lacrados. Um destinado ao Projeto Técnico, contendo cinco vias, sem identificação do candidato; e o outro destinado à Documentação de Habilitação, que será aberto ao término do prazo de inscrições para simples conferência. Novamente intervindo, em termos de projeto técnico, esse edital me pareceu mais próximo às discussões sobre roteiro, que a própria fundaj vem promovendo nos últimos anos, em especial através do Scriptdoctor Gualberto Ferrari. Ou seja, o tom se mostra conectado à defesa da impossibilidade de se desenvolver um roteiro fechado de documentário como proposta, mas sim uma sugestão de roteiro que deixa uma série de lacunas ainda abertas (parece uma diferença ínfima, mas não é). Só para ilustrar, se compararmos esse edital com o lançado há três anos, perceberemos facilmente a diferença do tom rígido do passado, tomando certezas do roteiro como exigências primeiras, diferente do tom ameno e aberto deste atual. Óbvio que pode ser apenas impressão, porque só saberíamos se há essa diferença de fato, na prática, se acompanhássemos toda seleção de perto ao lado da comissão julgadora. O que, convenhamos, não vai acontecer.

Enfim, quanto ao projeto técnico é pedido: 1. Título do Projeto e Pseudônimo do autor; 2. Resumo do documentário (máximo: 10 linhas); 3. Justificativa para a estratégia de abordagem do tema (máximo: uma página); 4. Proposta narrativa e estética do documentário (máximo: duas páginas); 5. Sugestão de estrutura do roteiro; 6. Plano de Produção; 7. Orçamento. Os dois últimos itens precisam ser preenchidos, a partir de formulários padrão que estarão disponíveis no site da Fundaj. Pelo lado da documentação exigida não há tanta burocracia quanto os editais municipais e estaduais (e há como ser mais burocráticos que estes?). Como as empresas possuem pessoas contratadas especialmente pra fazer isso, só vou dizer o que é preciso para as pessoas físicas: 1. Comprovante de que reside há pelo menos dois anos no Brasil; 2. Declaração de Compromisso do concorrente em complementar os recursos de produção da obra audiovisual proposta, na hipótese de os custos excederem o valor do Prêmio estabelecido, sem prejuízo dos prazos fixados; 3. Currículo resumido do concorrente, com no máximo uma lauda; 4. Cópias autenticadas da Cédula de Identidade e do CPF; 5. Certidão Conjunta da Receita Federal e Dívida Ativa da União; 6. Declaração formal e expressa de que o projeto apresentado é inédito, informando estar de acordo com o Edital e com as decisões da Comissão Julgadora, quanto aos resultados da seleção. O resultado final sairá no Diário Oficial da União no mês de agosto de 2008.

Agora a parte que realmente interessa a todos: a premiação. Cada um dos dois projetos selecionados receberá o prêmio de R$40.000,00 (quarenta mil reais – com um desconto monstro de imposto para o governo cara-de-pau), além de suporte técnico da Massangana Multimídia Produções, da forma que segue: 1. Sete diárias de câmera Digital XL2 CANNON, incluindo monitor e tripé, com operador de câmera e assistente; 2. Sete diárias de equipamento de iluminação, com técnico e assistente; 3. Dez horas de ilha de copiagem para transcrição do material bruto para DVD, para decupagem; 4. Quarenta horas de ilha de edição não-linear Final CUT Pro HD da Machintosh, com editor. Uma última intervenção pessoal que precisa ser feita sobre esse concurso é que, como todas as outras instituições culturais privadas ou públicas já vem fazendo em seus fomentos, a Fundaj precisa entender que quando se impõe um tema a uma chamada pública é preciso que se estabeleça um tempo mínimo entre o edital e as inscrições, ou que as inscrições sejam bem prolongadas. O Edital será lançado oficialmente apenas no dia 28 de abril e as inscrições se encerram no dia 15. É menos de 20 dias!!! Isso afeta as propostas inscritas no edital em termos de qualidade e quantidade. Ponto. Espero, ao menos, que essa minha pré-divulgação sirva de antecipação para os possíveis interessados. Estamos na internet, ora, espalhem por aí.

Edital Completo

Serviço:

V Concurso de Roteiros Rucker Viera

Lançamento do Edital: Durante o Cine-PE (entre 28 de abril e 04 de maio)
Período de Inscrição
: Entre 05 e 15 de maio.

Resultado Final: Agosto.
Informações e Dúvidas: (81) 3073-6710

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s